terça-feira, 29 de abril de 2014

Resenha: Série Garota Garoto - Nada é Para Sempre - Ali Cronin

Postado por Diandra By Di às terça-feira, abril 29, 2014 9 comentários


Olá, Tudo bem?

Estou muito contente com os comentários que vocês estão deixando aqui no blog ^^

A resenha desta semana é da série Garota Garoto, livro um, chamado Nada É Para Sempre - Ali Cronin.



Autor:  Ali Cronin
Editora: Seguinte 
Páginas: 271
Classificação:
 3 / 5




Sinopse
"Cass é a namorada fiel. Ashley não leva nada a sério. Donna é festeira. Ollie é mulherengo. Jack é esportista. Rich talvez seja gay. Mas e Sarah? Os amigos sempre tiram sarro dela por ser certinha demais, mas ela só está esperando pelo cara certo e agora tem certeza de que o encontrou. Será que ele sente a mesma coisa? Ou tudo não passa de uma paixão de verão? Acompanhe o emocionante último ano de escola de quatro garotas e três garotos de dezoito anos."


O que eu achei do livro?
Bom, para falar deste livro é impossível não começar comentando da série.
Eu gosto da série Garota Garoto, porém a personagem deste primeiro livro me irrita muito.
Ela é o tipo de garota pegajosa e inocentemente burra, que me tira do sério.
A série vai contar a história de garotas e garotos todos amigos que convivem no mesmo grupo, e estão frequentando o último ano escolar.
Todos tem dezoito anos e são bem distintos uns dos outros.
O livro apresenta a tipica amizade que você têm ou já teve no colegial.
Neste primeiro livro vamos conhecer a Sarah, uma garota que, no grupo, tem a imagem de ser a mais santinha e chata.
Ela, na verdade, é uma garota comum.

"Não que eu tivesse problemas de autoestima. Não passava horas diante do espelho detestando o meu corpo; não usava maquiagem demais; tinha planos. Queria ser escritora quando crescesse, e tinha todas as intenções de conseguir. Tipo, eu já podia ver meu eu futuro em uma noite de autógrafos em qualquer livraria. Mas me imaginar fazendo sexo? Muito menos plausível. vai entender."  

Ela viaja com os pais nas férias de verão, e em uma bela praia ela conhece o Joe, um garoto mais velho, estudante universitário, que também esta curtindo as férias de verão.

"...Joe tinha dentes ridiculamente perfeitos, o que explicava tantos sorrisos. Exibido. Olhou para baixo para espantar um mosquito do pé, e eu aproveitei a chance para dar uma olhada geral. Cabelos castanho-claros meio duros por causa da água do mar, olhos castanho-escuros, esbelto, porém não magricela, vestindo nada além de um short largo de natação. Não tinha como negar: era um gato."

Até ai tudo bem, a nossa protagonista conhece um garoto bonito, boa pinta, e eles começam a sair. Pouco antes das férias terminarem ela decidi perder sua virgindade com ele.
Séria tudo muito lindo se ela não tivesse se apaixonado pelo traste. E sim, Joe é um traste.
Eles trocaram números de telefone, ambos conversam de vez em quando.
A Sarah é muito ingenua, ela acredita em tudo o que esse cara diz. Está na cara que ele não quer um relacionamento com ela, que para ele, foi só um amor de verão.
A maioria das pessoas normais já passaram por isso. Mas, como mulher, você tem que ser madura o suficiente para saber que em 99% dos casos de amor de verão, duram somente até o final do verão, depois é cada um para o seu lado e fim.
A Sarah não aceita isso, porque ela está apaixonada por ele. E ela quer lutar para que eles fiquem juntos. O Joe engana a pobre menina o livro todo.
E os amigos dela conversam com ela, e dizem para ela desencanar e enfim, partir para outra. E a Sarah só insiste tanto por que o maldito Joe fica dando esperança para ela.
A grande verdade é que ele a usa para sexo e só.
Quando ele quer ele liga para ela. Quando ele quer ele responde as mensagens dela. Quando ele quer os dois se encontram.
Ele têm vergonha dela, por ela ser uma garota de colegial e ele já está na universidade.
E todas as vezes que ele quer sexo ele liga para ela, e a Sarah sai correndo para encontra-lo. Ela larga a escola, larga os amigos, larga o que ela estiver fazendo e vai encontra-lo.
Então, você passa o livro todo torcendo para ela deixar de ser idiota e acordar.
O livro tem uma ótima narrativa, é muito bem escrito. O mais legal é que você se identifica com a temática. Principalmente por que são coisas que todos passamos.
Você, garota que está lendo, certamente já correu atrás de alguém que não prestava.  E se nunca se apaixonou por um cafajeste, você ainda vai se apaixonar.
Se eu recomendo este livro?
Sim. A série é muito boa, e certamente você vai se identificar com a história de alguns dos personagens.
Assim que eu puder eu vou fazer a resenha dos outros livros.
Garota Garoto é uma série que eu indicaria para New Adults, então se você ainda está lendo Paula Pimenta, esqueça esta série.

domingo, 27 de abril de 2014

Resenha: Ecos da Morte - Kimberly Derting

Postado por Diandra By Di às domingo, abril 27, 2014 13 comentários


Olá pessoas *__*

Primeiramente eu gostaria de agradecer aos comentários que o último post recebeu. Fiquei muito feliz com todo o carinho ^^

Estou planejando cuidadosamente a primeira promoção do blog. Isso mesmo, vou fazer uma promoção bem bacana para todos vocês... =D

Agora vamos a resenha da vez.

Ecos da Morte - Kimberly Derting.




Autor: Kimberly Derting
Editora:  Intríseca
Páginas: 268
Classificação:
 4 / 5



Sinopse

"Violet Ambrose tem dois problemas – o dom mórbido e secreto que carrega desde a infância e Jay Heaton, seu melhor amigo, por quem está apaixonada. Aos dezesseis anos e confusa com os novos sentimentos em relação a Jay, ela começa a ficar cada vez mais incomodada com sua estranha habilidade – Violet encontra cadáveres. Desde pequena ela percebe os ecos que os mortos deixam neste mundo. Ruídos, cores, cheiros. Mas não todos, apenas os das vítimas de assassinato. Para ela, isso nunca foi um grande talento. Na maioria das vezes, tudo o que encontrava eram pássaros mortos, deixados para trás pelo gato da família. Mas, agora que um serial killer está aterrorizando a pequena cidade onde mora e os ecos das garotas assassinadas a perseguem dia e noite, Violet se dá conta de que talvez seja a única pessoa capaz de detê-lo. Em pouco tempo ela estará no rastro do assassino. E ele, no dela."  


O que eu achei?

Um ótimo livro, posso até dizer que fiquei bem surpresa.

Normalmente não gosto de ler livros com a temática de investigação. Porém, Ecos da Morte te conquista do começo ao fim.

Violet é o nome da personagem principal. Ela tem um dom muito incomum, Violet consegue sentir o eco de pessoas assassinadas, pessoas que tiveram seus corpos escondidos ou abandonados em lugares remotos.

Nossa protagonista é chamado até esse corpo. Pode ser uma sensação, uma luz, um cheiro ou até mesmo uma voz, um eco da pessoa que se foi. Normalmente envolve pessoas que foram mortas de maneira brutal. E não, ela não vê os fantasmas dessas pessoas.

Durante todo a sua vida ela escondeu esse dom, somente as pessoas mais próximas à ela sabem disso.
Violet tem um grande amigo, seu nome é Jay e eles são melhores amigos desde crianças. 

" No primeiro ano brincavam de pega-pega no parquinho, sempre juntos na perseguição a outras crianças, para que fizessem delas os "pegadores" e não tivessem que jogar um contra o outro. No segundo ano passaram a utilizar o trepa-trepa, escolhiam os times e usavam os túneis como fortes improvisados para defenderem-se dos inimigos dos dois. No terceiro ano aprenderam a jogar four square e bola na parede. No quarto, espiribol. E foi no quinto ano que descobriram que a inspetora do recreio não conseguia ver o que acontecia atrás da pedra gigante na beirada do campinho.

Foi o ano do primeiro beijo deles - ou melhor, beijos -, a única incursão que fizeram juntos pela área romântica. Tentaram uma vez com as bocas bem fechada, um selinho rápido, e depois novamente, tocando as línguas. A sensação foi escorregadia, elástica e estranha. Ambos concordaram imediatamente que aquilo era nojento, e juraram que jamais repetiriam."

Foi neste trecho do livro que eu decidi que valia a pena lê-lo. ^^

Vou explicar. Vocês podem me contar o nome de um personagem que é melhor amigo da heroína da história e que tem os seus sentimentos correspondidos? Violet é a personagem principal do livro e ela está apaixonada pelo melhor amigo. Quer dizer, ele se vê apaixonada por ele, e como o Jay é o melhor amigo dela desde sempre, ela não sabe o que fazer. 

Quem nunca passou por isso?

Normalmente a protagonista de uma história que tem como melhor amigo um garoto, nunca fica com ele, ela sempre vai terminar com um outro garoto (pode ser um vampiro, um badboy, um caçador das sombras), enfim, a protogonista sempre vai terminar com outro homem e nunca com o melhor "amigo apaixonado por ela". =/

É comum, e querendo o não, muitas vezes você já espera que isso aconteça na história..

Mas, em Ecos da Morte não. E o Jay é incrivelmente apaixonante. Você lê o livro e suspira o tempo todo. O melhor é que não é um romance enjoativo, e você se pega torcendo para que dê certo.

"Melhor amigo. A expressão agora parecia muito estranha, tal qual um tênis velho e confortável, que antes praticamente se amoldava ao formato de seu pé, mas que depois passou a machucar a cada passo, porque já não servia mais."  

Já a trama do livro em si é muito bem escrita a amarrada, sabe aquele tipo de livro que você não consegue parar de ler? Ecos Da Morte é esse tipo de livro.

Na história, depois que Violet encontra o corpo de uma garota que estava desaparecida e que morreu de forma horrível, várias garotas  da sua cidade e da cidade próxima começam a desaparecer, e durante as próximas semanas corpos atrás de corpos são descobertos pela policia.

Logo, se trata de um serial Killer. O interessante é que a cada poucos capítulos deste livro, um deles sempre é separado para a visão do serial killer, esse monstro que esta atacando jovens estudantes.

Violet encontra alguns desses corpos, afinal ela é chamada pelo eco de morte dessas meninas, e logo ela se torna a próxima a ser visada pelo assassino.

"Um pensamento lhe passou pela cabeça: de que talvez ela não estivesse seguindo em direção ao som, mas que fosse ele que estivesse ali, e se aproximasse de Violet. Não sabia ao certo se era uma notícia boa ou ruim. Esse era o homem que vinha caçando. Um homem que estava determinada a encontrar. Um assassino que precisava ser detido."

Se eu recomendo este livro?

Certamente. 

Ecos da Morte é um ótimo livro, muito bem escrito, com personagens cativantes e uma trama que vai te deixar de cabelo em pé de curiosidade.

O nome do segundo livro é Desejos dos Mortos e eu ainda não o li. Está na minha lista.

Até consegui encontrar um book trailer bonitinho de Ecos da Morte.






quinta-feira, 24 de abril de 2014

Resenha: A Desconstrução De Mara Dyer - Michelle Hodkin

Postado por Diandra By Di às quinta-feira, abril 24, 2014 13 comentários


Bom dia ^^
Hoje vou fazer a resenha de um livro que eu gosto muito.

A Desconstrução de Mara Dyer - Michelle Hodkin



Autor: Michelle Hodkin
Editora:  Galera Record
Páginas: 375
Classificação:
 5 / 5


Sinopse
"Mara Dyer não sabe se é louca ou apenas assombrada. Somente sabe que tudo a sua volta morre. Basta ela querer...
Mara dyer acha impossível algo pior do que acordar em um hospital, sem memória.
Ela acredita ter sido uma fatalidade o acidente que matou seus amigos e do qual escapou sem sequelas...físicas.
E, depois de tudo o que aconteceu, ela acredita que seria impossível se apaixonar.
Mara Dyer está errada..."


O que eu achei?
Incrível. Ele superou todas as minhas expectativas.
Primeiramente vamos falar desta capa linda. Foi a primeira coisa que me chamou a atenção no livro.
Essa moça sendo abraçada dentro da água é muito lindo. Capa perfeita para a história. (E não, literalmente a capa não tem nada a ver com a história).
No começo da história você se depara com uma carta de uma garota que diz que o seu nome não é Mara Dyer, mas que o advogado dela sugeri-o que seria uma boa ideia contar a história dela por meio de um pseudônimo. Isto já é intrigante por si só.

"...Sei que ter um nome falso é estranho, mas confie em mim: é a coisa mais normal a respeito da minha vida no momento. Até mesmo contar tudo isso a você no momento não é sensato. Mas sem minha enorme boca ninguém saberia que uma jovem de 17 anos que gosta de Death Cab For Cutie foi responsável por tantos assassinatos..."

Então esta é nossa protagonista. Tudo dá a entender que ela é uma assassina. Mas, como? Quando? E porque?
O que Mara Dyer sabe é que ela, em uma bela noite, estava comemorando o aniversário de sua melhor amiga em uma festa do pijama. Nesta festa, a aniversariante chamada Rachel, decide que seria divertido que todas brincassem com o tabuleiro Ouija (Uma tabua com letras do alfabeto, que algumas pessoas dizem ser um meio para um contato com os espíritos.), logicamente  que a Mara Dyer estava morrendo de medo e se recusou a brincar. Depois de muita insistência de suas amigas, ela resolva ceder.
O jogo começa e Rachel faz a primeira pergunta ao tabuleiro. Adivinha qual foi a pergunta?

"Como vou morrer?"
Aos poucos a peça de soletração do tabuleiro começou a mexer e eis que o tabuleiro soletra "MARA".
Neste momento a Mara Dyer já estava cagando nas calças e muito irritada decidi parar de brincar. Até ai tudo bem. As meninas parar de mexer com o tabuleiro Ouija e vão fazer ouras coisas.
Seis meses depois todos os amigos de Mara Dyer morrer em um Terrível acidente. Somente ela sobreviveu, mas ela não se lembra de nada referente ao fatídico dia.
Alguns meses depois os pais da nossa protagonista decidem mudar de estado, começar vida nova em outro lugar. É claro que o motivo foi a Mara Dyer.
Ela começa a apresentar alguns comportamentos estranhos, para sua mãe que é psicologa, sua filha apresenta sinais de um trauma extremo, e talvez até mesmo alguma psicose séria.

"Ela virou o rosto e senti culpa. Amava minha mãe, de verdade. Ela era devotada. Era amorosa. Mas o último ano, tornara-se dolorasamente presente. E, no último mês, a presença dela tinha se tornado insuportável...Daniel me contou que, depois que recebi alta, ouviu mamãe e papai conversando sobre a possibilidade de me internar. Mamãe era a favor, naturalmente. Alguém ficaria de olho em mim o tempo todo! Mas eu não tinha vontade alguma de estudar para as provas de admissão para a faculdade em uma cela alcochoada, e, como o efeito do meu grande gesto - de ir aos funerais - tinha obviamente passado, eu precisava manter a loucura controlada. Parecia estar controlada, até então."

Mara Dyer passou a ver seus amigos mortos em todos os cantos, na nova escola, em sua nova casa, saindo do espelho do banheiro. As vezes ela entrava em algum lugar e via tudo desmoronar em sua cabeça, claro que era uma ilusão.
Assim que chega na nova escola ela encontra um garoto super fofo. Seu nome é Noah e ele tem sotaque britânico.

"...O estado geral de desordem em que se encontrava era quase o bastante para me distrair de seu rosto. O garoto - se é que podia ser chamado assim, pois parecia que deveria estar na faculdade e não no colegial - Calçava All Stars de cano curto gastos e esburacados, sem cadarço. Calças justas cor de carvão e uma camisa de botão branca cobriam a silhueta esguia e desalinhada. A grava estava solta, os punhos das camisas desabotoados e o blazer jogado em um montinho ao lado enquanto o garoto se inclinava para trás de forma preguiçosa, apoiado nas palmas das mãos.
O maxilar e o queixo fortes pareciam levemente sujos, como quem não faz a barbahá dias,  e os olhos pareciam cinzentos à sombra. Mechas do cabelo castanho-escuro despontavam em todas as direções. Cabelo de quem acabou de acordar..."

Preciso dizer mais alguma coisa sobre o nosso protagonista masculino?
Claro que não! Noah é o tipo de cara que faz qualquer mulher suspirar e rastejar. (Olha lá o meu "fraco" por badboys aparecendo =D )
É claro que no decorrer da história a Mara vai enfrentar muita coisa, desde suas alucinações malucas à patricinhas que não gostam dela.
O legal deste livro é que o tempo todo você fica se perguntando o que está acontecendo com a Mara Dyer. Será que ela esta ficando louca? Ou realmente tem algo de sobrenatural ocorrendo com ela?
Nesse dilema você rapidamente devora o livro, e o único arrependimento que você tem é o de ter lido muito rápido. =D
Se eu recomendo este livro?
Com certeza! Claro! Lógico! Sim!
Se você gosta desta pegada levemente investigativa você vai pirar ao ler A desconstrução de Mara Dyer.

Eu achei esse book trailer do livro. Muito legal ^^






 #Ficaadica

Resenha: Como Se Livrar De Um Vampiro Apaixonado - Beth Fantaskey

Postado por Diandra By Di às quinta-feira, abril 24, 2014 2 comentários


Olá pessoas lindas =D
Estou aqui para postar mais uma resenha para vocês. ^^
O livro da vez é: Como se Livrar de um Vampiro Apaixonado - Beth Fantaskey.





Autor:  Beth Fantaskey
Editora:  Sextante
Páginas: 299
Classificação:
 4 / 5


Sinopse

"Casar-se com um vampiro certamente não estava nos planos de Jessica Packwood para seu último ano escolar. Mas quando um novo aluno esquisitão (e muito gato) chamado Lucius Vladescu aparece do nada, dizendo que Jessica pertence à realeza vampírica e está prometida em casamento a ele, futuro líder do clã mais poderoso dos vampiros, ela é obrigada a rever seus conceitos. Se a garota ainda nem beijou na boca, como pode sequer pensar em um compromisso eterno? Armada com uma autoconfiança recém-adquirida, Jessica passa por uma transformação drástica de adolescente nerd americana para princesa vampira europeia nessa sátira cheia de reviravoltas e surpresas."


O que eu achei?
Muito fofo. Um livro divertido, que no final te surpreende.
Antes de começar a falar sobre a história , eu vou deixar que vocês leiam um trecho.

" - Estou cansado da sua ignorância. Como seus pais se recusam a informá-la, eu mesmo darei a notícia. - Ele apontou para o próprio peito e anunciou, como se falasse com uma criança: - Eu sou um vampiro. - E apontou para o meu peito. - Você é uma vampira. E vamos nos casar assim que você alcançar a maioridade. Isso foi decretado desde o nosso nascimento.
Não cheguei a processar a parte do "vamos nos casar", muito menos o lance sobre "decretado". Eu já tinha me perdido na parte do "vampiro".
Pirado. Lucius Vladescu é completamente pirado. E estou sozinha com ele em um estábulo.
Por isso eu fiz o que qualquer pessoa sensata faria. Cravei o forcado no pé dele e corri feito louca para casa, ignorando o seu grito de dor."

Assim que eu lí esse pequeno trecho que está na contracapa do livro eu decidi que tinha que lê-lo.
E se você está pensando que esse é um livro de comédia, está tremendamente enganado.
O livro vai contar a história de Jessica Packwood, uma garota normal de dezesseis anos. Ela mora em uma fazenda, tem problemas em controlar o cabelo, não se acha bonita e sonha em namorar o bonitão da escola.
Sua vida muda drasticamente quando um garota chamado Lucius Vladescu aparece na cidade onde ela mora, e pior, os pais dela o convidam para ficar na casa deles. (Até então você fica se perguntando: WTF? ).
Jessica não entende nada, tudo o que ela sabe é que não vai com a cara dele.
Lucius é mandão, Sinceramento irritante, egocêntrico, se acha o último biscoito do pacote e claro não deixa a pobre garota em paz. Principalmente depois de dizer para ela que ambos são vampiros e vão se casar assim que ela completar dezessete anos.
E é claro que nossa protagonista não acredita em nada do que ele diz.
Lucius também conta que o verdadeiro nome dela é Antanasia Dragomir, que ela nasceu na Romênia e que foi para os Eua ainda bebê.
Agora eu te pergunto. Se um homem aparece na sua vida do nada e te diz a mesma coisa, você acreditaria nele, ou não?
É claro que não! Né galera... Não tem como acreditar nisso. Afinal isso aqui não é Crepúsculo.
No decorrer da história você, caro leitor, é presenteado com cartas escritas por Lucius à seu tio Vasile, que mora na Romênia. E essas cartas são maravilhosas, engraçadas, sarcásticas e você passa a entender a mente desse personagem tão querido.

"...A garota, Vasile. A garota. Imagine o meu choque ao encontrar minha futura esposa, minha "princesa", afundada até os joelhos em dejetos de animais, gritando comigo do outro lado de um estábulo e depois tentando me cravar uma ferramenta agrícola no pé, como um cavalariço demente. Não abordarei o fato de que o excremento de cavalo parecia se grudar numa crosta permanente em suas botas masculinas; deve ser falta de bons modos até mesmo citar isso..."

Muita coisa acontece na história e de repente você fica surpreso ao notar o quanto os personagens evoluem em seus sentimentos e desejos. E o que começou como um livro engraçado, torna-se extremamente intrigante.
Adoro quando sou surpreendida dessa forma.
Se eu recomendo esse livro?
Sim! =D
Mesmo que seja uma temática já tão mastigada como o "vampiro e uma garota que se apaixonam", vale muito a pena acompanhar a história até o final.
O bacana é que a história da Antanasia e Lucius continua em outro livro chamado Como Salvar um Vampiro Apaixonado. Além, de um conto escrito pela autora sobre o final do primeiro livro.

Depois vou postar uma resenha sobre cada um... 


quarta-feira, 23 de abril de 2014

Resenha: Série Frozen - Heart of Dread - Melissa de la Cruz e Michael Johnson.

Postado por Diandra By Di às quarta-feira, abril 23, 2014 0 comentários


Boa tarde ^^

Voltando para deixar a próxima resenha do dia.

Série Frozen  Heart of Dread  - Melissa de la Cruz e  Michael Johnson.


Autor: Melissa de la Cruz e  Michael Johnson
Editora:  Putnam Juvenile
Páginas: 320
Classificação:
 2.5 / 5



Sinopse

"Situado em 111 C.D., 111 anos depois de um desastre catastrófico que dizimou 99% da humanidade e deixou a terra coberta de gelo, esta nova série apresenta aos leitores um grupo desorganizado de amigos e da aurora de um novo tempo. O mundo da razão, da matemática e das ciências está terminando, e uma nova civilização está nascendo a partir do gelo: um mundo de magia e caos, feiticeiros e feitiçaria."


O que eu achei?

Achei bastante interessante.

Que resposta horrível foi essa, Diandra? 

Calma, eu vou explicar.

O livro é um distópico, a história é muito interessante, mas neste primeiro livro muitas coisas sobre a história não são explicadas, o que me deixou bem confusa.

Por exemplo, por que só há adolescentes no planeta? Eu não entendi essa...

A história se passa depois de um grande desastre, que dizimou bilhões de vidas. O planeta entrou (pelo o que eu pude entender) em uma nova era do gelo. Tudo começa no que sobrou dos Eua, pouquíssimas cidades sobreviveram, uma delas é chamada de New Vegas.

O estranho é que todas as pessoas que nasceram com olhos azuis ou verdes apresentavam conforme cresciam, alguns  poderes. Algumas podiam ler mentes, outras tinham um grande poder de telecinese, o que no começo era aceitável passou a ser visto por perigoso e hostil para as pessoas de olhos castanhos e pretos. Logicamente que o medo do que não podemos explicar pode transformar pessoas boas e pacificas em assassinos cruéis e governantes ditatoriais.

A história segue na visão de dois personagens. Nat, uma garota bonita de dezesseis anos que fugiu de uma unidade de contenção para pessoas com olhos claros. E Wess, um garoto de dezesseis anos que é um ex soldado (um dos melhores por seus feitos) que foi tirado de sua posição após uma grande batalha, que ele venceu por pouco, mas que mudou a vida dele (não é explicado porque =/).

Nat, está em New Vegas trabalhando como Dealer (distribuidor de cartas em mesas de jogos). Ela conseguiu fugir do hospício onde estava internada, e depois de conseguir lentes de contato que escureciam seus olhos claros ela passou a trabalhar para juntar dinheiro e fugir para o Azul.

O Azul é o chamado paraíso, ou nos termos humanos Atlântida ou Avalon. Um lugar de pureza e sol, onde o mal que assola o mundo comum não pode chegar.

"Ela poderia fingir que ela nunca tinha corrido, que nunca tinha saído da janela, apesar de que "queda" não era a palavra certa, ela deslizou, voando pelo ar como se tivesse asas. Nat tinha pousado duro em um banco de neve, desarmou os guardas do perímetro que tinham a cercado, roubou um colete térmico para manter-se aquecida. Ela seguiu as luzes de uma pista e uma vez que ela chegou à cidade, era fácil o suficiente negociar o colete por lentes para esconder seus olhos, permitindo-lhe encontrar trabalho no cassino mais próximo."

Ela já está na cidade a alguns meses e os ataques as pessoas com olhos claros estão cada vez piores, ela sente que já está na hora de ir embora. Porém, como fazer isso?

Exitem rumores que algumas pessoas são capazes de fazer isso. Mas é arriscado e caro. O azul é uma lenda, até que Nat descobre um antigo medalhão, um mapa feito a muito tempo, e perdido a mais tempo ainda.

Pela primeira vez Nat sente esperança. Quer dizer, ela também tem alguma coisa dentro da cabeça dela que a manda fazer coisas, que a protege, que a aconselha. Ela o chama de monstro, mas não sabe o que é.

Nat então encontra Wess, ele é capaz de tira-la de New Vegas e fazer a travessia até onde ela deseja ir.

Wess é atormentado pela perda de sua irmã, que sumiu quando ele era criança e ele jurou que a encontraria novamente.

É assim que a história começa. Nat paga uma fortuna para sair de New Vegas, e Wess que aceitou o trabalho já pensando em trair a garota descobre o colar muito peculiar que ela carrega.

Ambos os protagonistas, juntamente mais alguns ajudantes de Wess, embarcam nesta jornada.

Claro que neste novo mundo não somente humanos existem, também existem criaturas mágicas escondidas nas geleiras, povos antigos que apareceram para os humanos.

"Havia rumores dos pequenos homens de viverem abertamente com seus irmãos mais altos em Nova Pangaea, mas as sílfides e drau se mantinham entre si, escondidos em suas remotas geleiras montanhosas. Muitos duvidaram que eles realmente existiam, muito poucos tinham visto um."

O livro tem uma boa narrativa, uma história que cativa a imaginação. Porém, teve muitas coisas que eu não gostei ou fiquei com raiva na hora da leitura. Faltava poucas paginas para o final do livro e eu fiquei com tanta raiva que pensei em desistir.

A Nat tinha tudo para ser uma personagem forte na história, mas não é. Ela chora demais, a todo momento, ao invés de se concentrar na sua fuga ela acaba apaixonando-se pelo Wess, e tudo bem não sou contra um bom romance, desde que ele não seja meloso e estranho. 

Pelo amor de Deus, em MUITOS trechos do livro você pensa que a Nat pode ser a irmã desaparecida do Wess. Quem é que consegue continuar a imaginar os dois juntos assim?

O Wess é um cara bacana, todo atormentado pela guerra. (Mesmo que na história não fique claro os horrores que ele supostamente passou) então não dá para entender por que ele é tão perturbado por esse passado desconhecido.

Espero que isso seja esclarecido no próximo livro da série. (Sim, eu vou ler o próximo).
.
Eu recomendo esse livro?

Sim. Acho que toda forma de leitura é válida, e com alguns livros você descobre o que te move a ler, que tipo de romances te chamam a atenção. Também descobre o que não é legal de ler.

Frozen é bem escrito, mas peca nos detalhes que são importantes para entendimento da história.

O Book Trailer deste livro é uma graça. Achei muito fofo.









Resenha: Série Reiniciados - Teri Terry

Postado por Diandra By Di às quarta-feira, abril 23, 2014 0 comentários


Olá pessoas,

Hoje vou fazer a resenha de um livro que eu AMO muito ^^

Série Reiniciados de Teri Terry.


Autor: Teri Terry
Editora: Farol Literário
Páginas: 430
Classificação:
 5 / 5


Sinopse

"As lembranças de Kyla foram apagadas, sua personalidade foi varrida e suas memórias estão perdidas para sempre. Ela foi reiniciada. Kyla pode ter sido uma criminosa e está ganhando uma segunda chance, só que agora ela terá que obedecer as regras. Mas ecos do passado sussurram em sua mente. Alguém está mentindo para ela, e nada é o que parece ser. Em quem Kyla poderá confiar em sua busca pela verdade?"


O que eu achei?

Como eu disse anteriormente esse é um livro que eu gostei muito de ler.

Reiniciados é um romance distópico, assim como Jogos Vorazes e Divergente. Ele conta a história de Kyla uma adolescente de dezesseis anos que foi reiniciada. O que é ser reiniciada? Já explico.

Após uma terceira Guerra Mundial, a Grã Bretanha se fechou em uma ditadura de partido único, logo todas as regras de uma ditadura prevalessem neste novo governo, ou seja, ninguém entra ou sai do país, e todos são obrigados a seguir as novas leis desta ditadura.

Neste novo governo se você tem até dezesseis anos e é pego cometendo um ato de vandalismo, um crime, ou até mesmo um protesto. Você é preso, julgado e separado para o projeto Reiniciados. Que consiste em uma neurocirurgia onde todas as suas memórias, suas lembranças, sua personalidade são apagadas. É uma segunda chance dada pelo governo para esses adolescentes desordeiros entrarem na linha. 

Depois desta cirurgia, o adolescente é levado para um centro de reabilitação onde ele vai aprender a comer, falar, andar...enfim, vai aprender tudo novamente. O governo tem um período de seis meses para reintegrar este adolescente na sociedade. Após esse período esse garoto/garota recebe um nome e uma nova família adotiva, está nova família ficará responsável pela educação deste jovem.

"Estranho. Tudo bem, não tenho muita experiência nisso para embasar este julgamento. Posso ter dezesseis anos , não ser lenta, ou retardada, nem ter sido trancada num armário desde o nascimento - até onde eu saiba -, mas ser transformada numa Reiniciada faz isso com você. Deixa a pessoa vazia de experiências. "  

Kyla, a personagem principal do livro foi Reiniciada, sendo assim ela não tem lembrança alguma de quem ela era antes. Mas, é justo ai que você começa a pegar coisas estranhas acontecendo na história.

Ela não passou a período de seis meses no complexo de reabilitação, ela ficou detida por muito mais tempo. Todos os Reiniciados tem que, ao menos, uma vez por mês fazer terapia, um bom modo do governo verificar continuamente o progresso deste novo reiniciado em sociedade. Já, nossa querida Kyla, tem que fazer terapia toda semana. Sem contar o fato de ela ser extremamente vigiada pela sua nova família.

A médica que cuidou do seu caso não é uma simples médica do projeto Reiniciados. Ela é criadora deste projeto.

Então, durante o decorrer da história você fica extremamente curioso a respeito da Kyle e sua história. O que diabos essa garota fez para ser tão vigiada agora. E com isso você fico cogitando milhares de coisas que ela poderia ter feito para ser presa. Será que ela queimou um ônibus cheio de criancinhas? Ou saiu metralhando em plena Londres? O que a Kyla fez de tão horrível?

Você, caro leitor, vai ficar curioso até o final do livro.  

"Estamos indo para casa. Mas ela é minha? Elas está ficando familiar; confortável, na maior parte do tempo. Não acordo mais pela manhã sem saber onde estou e sem encontrar meu caminho no escuro. Passar pela segurança do hospital e por trás das grades e guardas das torres não foi confortável e sim claustrofóbico: desejei pular do carro e sair correndo durante todo o caminho de volta ao condado. Par longe daquelas ruas com guardas, e da multidão apressada. Autoestradas e blitz com vans pretas e armas."

A Kyla não é estúpida, ela sabe que é diferente dos outros Reiniciados que conhece. Logo, ela fingi o tempo todo ser uma Reiniciada comum e tola.

Ao meu ver, ela é o tipo de garota que você quer ter como melhor amiga.

Este livro é fantástico, ele tem um pouco de romance, mas o foco da história é a aventura da Kyla. O que ela vai fazer para descobrir a verdade, como ela vai lidar com toda a pressão deste governo ditatorial.

Se eu recomendo esse livro?

SIM, SIM E SIM.

Depois de Jogos Vorazes, Reiniciados é um dos melhores distópicos que eu já li.

O final deste livro é um tapa na cara de qualquer leitor. Você passa o livro todo cogitando milhares de coisas sobre a história, e o final desta primeira parte, e o final não é nada do que você imaginou. Ou seja, o final é daqueles que surpreendem. =D

Já estou lendo o segunda da série chamado Fragmentada e depois eu posto o que eu achei.

Que tipo de livros vocês gostam? Deixe nos comentários... ^^




Link

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Livros da Tarde Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos